Taxa de atraso. Cobrar ou não?

Quando faço um orçamento para um cliente, seja um website, logotipo ou qualquer trabalho que envolve criação e design, levo em consideração não apenas a complexidade do trabalho, mas também, defino um prazo para que eu consiga entregar o produto final com qualidade, prevendo eventuais erros, fase de teste, etc.

Se eu estou em um momento que há poucos trabalhos em andamento, eu consigo planejar a entrega de um serviço com um prazo menor, já que minha dedicação ficará na maior parte do tempo dedicada a este job. Quando o contrário, peço mais tempo que o usual, assim consigo manter a mesma qualidade de entrega, sem comprometer também os outros jobs em andamento.

Muitos profissionais combinam o pagamento com seus clientes definindo 50% antes e 50% depois de finalizado e é ai que mora o perigo.

O que muito acontece, principalmente no desenvolvimento de sites, clientes, por falta de planejamento ou as vezes na má intenção, não entregam o conteúdo para que nós desenvolvedores possamos finalizar e entregar no prazo acordado, assim com o site não finalizado, acabamos não recebendo,  já que ficamos “presos” por ter combinado que a segunda parcela fosse paga na entrega do site.

Quando o cliente resolve entrar em contato com você para finalizar, muitas vezes já se passaram meses, e você está envolvido em outros projetos, não tem o mesmo tempo de antes quando fez o orçamento inicial, e assim, o cliente começa a te cobrar, como se você estivesse a disposição eternamente.

Infelizmente se não apresentarmos um contrato antes, descrevendo estes pontos através de cláusulas, estamos sujeitos a entrar numa situação assim, mas vale lembrar que mesmo com o contrato isto acontece.

E qual a saída, finalizar o site para poder receber, apertando a sua agenda e seus compromissos com um trabalho que você já havia descartado por falta do “feedback” do cliente, depois de dezenas de e-mails cobrando retorno e que de repente resolveu ressurgir das sombras?

O cliente deveria saber que você tem outros compromissos e não está a disposição para ele, assim você não pode e nem deve se sacrificar por isto, então a melhor maneira é a conversa, colocar a situação na mesa e apresentar uma solução.

Primeiro é reavaliar as pendências e calcular quantas horas vai levar para finalizar o site por completo, uma vez que você finalmente tem todo o conteúdo em mãos, depois você analisa como está o seu tempo e como vai conciliar a entrega desta pendência e não comprometer suas outras atividades.

Como este é um trabalho que de repente surgiu no meio de suas atividades, você não pode simplesmente coloca-lo na lista e afazeres, por mais que você não esteja com muitos jobs, mas é necessário incluir um valor a mais no orçamento final, de forma que você não fique prejudicado, e o cliente entenda que o seu trabalho é profissional, caso o contrário o cliente vai acabar ditando as normas do seu negócio, e isso não é “business”, você vai acabar enfraquecendo la na frente.

Você pode chamar de “taxa de atraso”, ou você pode cobrar para reabrir o job por considerar que havia sido abandonado, enfim, vai da maneira que você achar mais confortável, mas sempre sendo claro, objetivo, e tendo principalmente formas de mostrar o porque considerou o trabalho abandonado, como por exemplo, apresentando histórico dos seus últimos e-mails cobrando conteúdo e pendências que nunca foram entregues até o presente momento.

Entender o cliente e ter bom senso para não perde-lo, saiba que as vezes não fazem por mal, mas é preciso se valorizar para sobreviver como freelancer, esse é o jogo.

Você vai gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *